sexta-feira, agosto 26, 2011

A generosidade de Luis Soriano

Olá amigos, hoje encontrei um post show de bola, e como acredito que o que é bom a gente tem que compartilhar, leiam abaixo o artigo:

A generosidade de Luis Soriano



Moro em Venda Nova há cinco anos e quando comento que aqui tudo é mais acessível e perto, levando em conta as distâncias que se tem de percorrer quando vivemos numa cidade grande e desejamos ir à biblioteca pública, por exemplo, a maioria das pessoas não consegue ter uma real dimensão do que eu falo.

Aqui em quase todos lugares conseguimos chegar com dez minutos de uma linda caminhada entre cantos de pássaros e lindas paisagens... Na pior das hipóteses, levamos cinco minutos de bicicleta. No entanto... A biblioteca "é longe".

Reproduzo abaixo um pequeno texto publicado pela Agência Brasil que Lê contando a história da imagem acima "o Biblioburro", ela demonstra como há pessoas que têm dificuldades realmente para ter acesso a livros e a informações. 

No entanto, mesmo assim, conseguem ultrapassar as barreiras da preguiça, das limitações, da miséria social, alcançam seu objetivo maior e iluminam a escuridão com a esperança empregnada nas palavras escritas...

Salve Luis Soriano, aquele que sabe que "longe" é um lugar que não existe!

Sandra Küster • Bibliotecária

 
****
Por João Augusto
 

Realizar. Eis o que buscam os homens que sonham alcançar a eternidade, deixar o nome pela história, marcado em efemérides. Mas há quem seja tão grandioso que desconheça o privilégio de ser sozinho, e escolhe ser aos pares. 

Decide partilhar a única certeza que carrega embaixo do chapéu surrado dos dias quentes nos campos colombianos. Ali, escondido entre o fim e o começo do que pode parecer nada, Luis Soriano estendeu a mão a gente que nem conhecia. 

E levou esperança, conhecimento, alegria, nas cestas cheias de livros, penduradas em dois burros, batizados Alfa e Beto. Professor de ofício, ele acredita que, de alguma forma, a leitura pode melhorar a vida das pessoas. 

O Biblioburro, como ficou conhecida a iniciativa, é mais do que um projeto social. É uma lição de humanidade. 

Um ato que pede a história, não pela genialidade de quem o pratica, mas pela generosidade de Luis Soriano de oferecer a tantos outros a oportunidade de realizar.
 

* João Augusto é escritor, poeta e editor da Revista Brasil Que Lê.

Nenhum comentário: